DEU RUIM ENTRE IRÃ E EUA – PREPAREM-SE PRA GUERRA


Deu ruim entre Irã x EUA hoje dia 6 de janeiro 2020. A guerra entre os dois países pode ocorrer a qualquer momento visto que o Irã acaba de atacar uma base norte americana no Iraque com mísseis balísticos.  Noticias oficiais informam que a Casa Casa prepara o salão oval para possível pronunciamento do presidente Donald Trump. A preparação, no entanto, não significa que haverá o pronunciamento, mas tudo indica que sim.

Vale destacar que secretários de Defesa e de Estado foram chegaram há pouco na Casa Branca.

A morte no Iraque do general iraniano Qasem Soleimani num ataque aéreo dos Estados Unidos, no dia 3 de janeiro, marcou uma arriscada escalada da tensão entre Washington e Teerã.

O mundo acompanha de perto as reações do Irã e as novas ameaças do presidente Donald Trump. O corpo de Soleimani passou em cortejo pelas ruas do Iraque no sábado (4) e, no domingo (5), foi velado no Irã, com honras de herói nacional e mártir.

O líder supremo do país, aiatolá Khamenei, liderou as orações, enquanto milhares de iranianos tomaram as ruas para prestar a última homenagem àquele que era considerado o segundo homem mais poderoso do Irã.

O governo iraniano já anunciou que vai se “vingar” dos EUA e que passará a produzir urânio para além dos limites do acordo nuclear firmado com grandes potências mundiais em 2015.

Irã dispara mísseis contra alvos norte-americanos no Iraque

 

O presidente Donald Trump fez um pronunciamento na noite de hoje (3) em que disse que o ataque dos Estados Unidos que resultou na morte, no Iraque, do general Qassem Soleimani, um militar de alta patente do Irã, foi uma ação para parar e não para começar uma guerra. A morte de Soleimani causou tensão nesta sexta-feira entre líderes mundiais devido ao risco da escalada do conflito entre Estados Unidos e Irã.

Durante o pronunciamento, Trump classificou Soleimani como “o terrorista número 1 do mundo” e disse que o iraniano estava planejando ataques terroristas contra diplomatas e militares norte-americanos. “Sobre nossa política contra terrorista que ameaçam ou pretendem ameaçar qualquer americano, nós vamos encontrá-lo e eliminá-lo”, disse o presidente.

Trump responsabilizou Soleimani pelos ataques a alvos dos EUA no Iraque, incluindo ataques a mísseis e o ataque à embaixada em Bagdá. “Soleimani perpetuou atos de terrorismo para desestabilizar o Oriente Médio pelos últimos 20 anos”.

O presidente disse que o ataque que resultou na morte de Soleimani deveria ter sido feito há muito tempo. “Muitas vidas teriam sido salvas. Recentemente Soleimani liderou a repressão brutal contra protestos no Irã em que mais de mil civis inocentes foram torturados e mortos pelo governo errado.”

Trump disse ter um profundo respeito pelo povo iraniano e que não procura uma mudança de regime. “Entretanto o uso do regime iraniano de ações para desestabilizar seus vizinhos deve acabar e deve acabar agora. O futuro pertence ao povo do Irã, àqueles que procuram coexistência pacífica e cooperação, não os terroristas lordes da guerra”.

Vários mísseis atingiram nesta segunda-feira (7) na base aérea Ain Assad, que pertence aos Estados Unidos e está localizada no Iraque. A Guarda Revolucionária do Irã assumiu a responsabilidade pelo ataque, que aconteceu horas depois do funeral do general iraniano Qassem Soleimani.

Até agora, o número de vítimas e a extensão dos danos não são conhecidos.

A Casa Branca retuitou uma mensagem da secretária de imprensa dos EUA, Stephanie Grisham, que diz que o governo norte-americano está ciente das notícias do ataque às instalações no Iraque. “O presidente [Donald Trump] foi informado e está monitorando a situação de perto e consultando sua equipe de segurança nacional.”

O ataque ocorreu dias após um ataque com drone feito pelos Estados Unidos no Iraque que resultou na morte do general iraniano Qassem Soleimani, uma das principais lideranças militares do Irã na semana passada. A morte de Soleimani causou forte reação no Irã e no Iraque. O presidente da República Islâmica do Irã, Hassan Rouhani, disse que a “resistência contra os excessos dos Estados Unidos vai continuar” e que “o Irã vai se vingar deste crime hediondo” e milhares de pessoas saíram às ruas no Iraque e no Irã nas cerimônias fúnebres de Qassem Soleimani e protestaram contra os EUA.

Nesse domingo, o presidente dos EUA Donald Trump prometeu “forte retaliação” caso o Irã contra-atacasse e, no sábado, disse que se o Irã cumprir a ameaça de vingar a morte do general Qassem Soleimani, a resposta militar será “rápida e forte”, contra 52 alvos iranianos.

* Com informações de agências internacionais

Fonte: BBC Brasil